Ultimos posts

Diversão! Essa foi a primeira coisa que pensei quando li sobre o Bossaball. Imagina reunir a futebol, futsal, ginástica, vôlei e capoeira. Coloca isso em cima de um colchão inflável e separa em dois por uma rede. Imaginou? É ou não é diversão pura?

Bossabol é diversão no litoral

Composto por três camadas de colchões infláveis, dois trampolins acrobáticos (espécie de cama-elástica) e uma rede, o bossabol pode ser praticado por pessoas de todas as idades e níveis de habilidade. Antes de entrar em ação, os praticantes fazem um breve aquecimento e recebem sapatilhas especiais.

O objetivo básico no bossaball é  conseguir que cada equipe faça a bola cair no campo adversário. Cada equipe tem direito a no máximo oito toques para passar a bola para o campo adversário. O alvo mais cobiçado é o trampolim que fica diretamente na frente da rede. Nesse caso a equipe ganha três pontos. Se se a bola bater nos painéis infláveis ao redor do trampolim, um ponto é marcado. Nenhum ponto é marcado quando a bola pára nos anéis ao redor do trampolim e o jogo continua depois disso.

A equipe marca um ponto quando a bola cair no campo do time adversário. Se a bola cair na cama elástica no lado do time adversário, a equipe que jogou a bola marca três pontos.

Um toque entre a bola e a bossawall – a zona nos arredores das camas elásticas – nada se altera na pontuação e o jogo continua.

Regras

  • Cada time é composto por quatro jogadores. Um jogador fica no trampolim e os outros três jogadores nos colchões infláveis ao redor.
  • O jogador central é responsável por fazer a primeira defesa, se necessário, e pular no trampolim para ganhar altura, enquanto os três jogadores ao redor preparam a jogada. Quando o jogador principal atingir uma altitude de ataque, a bola é levantada por um dos três jogadores armadores e o ataque acontece;
  • Cada time pode ter no máximo oito toques na bola em cada jogada, o que significa que após a defesa o time tem até seis toques para o jogador do trampolim se preparar para um novo ataque.
  • Os jogadores podem tocar a bola com as mãos, dois toques com o pé e um toque com a cabeça.
  • Ganha o jogo a equipe que fizer 15 pontos primeiro.
Bossabol é um esporte de baixo risco e impacto reduzido – afinal é praticado em cima de um colchão inflável, o que permite ao praticante realizar saltos de mais de um metro e meio de altura sem correr grandes riscos de lesões.
 © 

Uma fraude cometida por atletas da delegação da Espanha durante a Paralimpíada de Sydney, em 2000, fez com que os atletas com deficiência intelectual ficassem de fora das disputas mundiais por 12 anos. A farsa, considerada um dos grandes escândalos do esporte mundial, até hoje prejudica esses atletas, que estarão disputando medalhas na Paralimpíada do Rio de Janeiro, mas com participação reduzida.

Em 2000, durante a Paralimpíada de Sydney, um grupo de pessoas se fez passar por atletas com deficiência mental para integrar a delegação de basquete da Espanha. A seleção ganhou medalha de ouro, mas a história foi revelada meses depois por um jornalista, que integrava o grupo. Em 2013, eles tiveram que devolver as medalhas e os prêmios recebidos.

Após esse episódio, o Comitê Paralímpico Internacional decidiu que não haveria mais provas para deficientes mentais nos campeonatos promovidos pela entidade. Por isso, esses atletas não participaram da Paralimpíada de Atenas, em 2004, de Pequim, em 2008, e tiveram seu retorno liberado nos jogos de Londres, em 2012 . Também não houve competição para deficientes intelectuais nos Jogos Parapan-Americanos realizados no período, inclusive nos do Rio de Janeiro, em 2007.

Neste ano, os atletas com deficiência intelectual vão participar de provas na natação, no atletismo e no tênis de mesa. O Brasil terá três atletas com esse tipo de deficiência disputando medalhas: Daniel Tavares, no atletismo, e Beatriz Borges Carneiro e Felipe Caltran Vila Real, na natação. 

A Paralimpíada será realizada entre os dias 7 e 18 de setembro, no Rio de Janeiro. Ao todo, 4.350 atletas de 160 países vão participar das competições em 22 modalidades. A delegação brasileira será a maior da história dos Jogos Paralímpicos, com 287 atletas. Com informações da Agência Brasil.


Há algumas imagens que circulam na Interwebs que beiram ao inacreditavel. Seja por causa da mistura de cores, seja porque a imagem foi feita na hora perfeita.

Esse post traz imagens de 5 lugares pela Terra que são lindos de viver. E claro, tem imagens inacreditáveis



1. Grand Prismatic Spring - Estados Unidos

Podia ser uma mancha na superfície de Júpiter captada por uma lente psicodélica do telescópio Hubble, mas trata-se do Grand Prismatic Spring, no Wyoming (EUA). Com cerca de 90 metros de largura e 50 de profundidade, o maior lago termal do Parque Nacional de Yellowstone deve estas cores às bactérias termófilas que vivem nas suas margens e produzem, em torno do azul profundo, um espectro que inclui amarelo, laranja, vermelho e marrom

2. Parque Geológico Zhangye Danxia - China Não há nada de falsificado nas cores e nas formas do Parque Geológico Zhangye Danxia, na província de Gansu (China). O degradê das rochas espalhadas em uma área de mais de 500 quilômetros quadrados é o resultado da prensagem de minerais de diferentes colorações há mais de 24 milhões de anos. A geologia peculiar foi ainda lapidada pela ação de ventos e chuvas e movimentação de placas tectônicas, que formaram cumes pontiguados e ravinas

2. Parque Geológico Zhangye Danxia - China

Não há nada de falsificado nas cores e nas formas do Parque Geológico Zhangye Danxia, na província de Gansu (China). O degradê das rochas espalhadas em uma área de mais de 500 quilômetros quadrados é o resultado da prensagem de minerais de diferentes colorações há mais de 24 milhões de anos. A geologia peculiar foi ainda lapidada pela ação de ventos e chuvas e movimentação de placas tectônicas, que formaram cumes pontiguados e ravinas


3. Dead Vlei - Namíbia Aqui não tem filtro épico do Instagram, Photoshop malandro nem tampouco pincel de artista. Os contornos sombrios das acácias mortas, encravadas no solo argiloso de Dead Vlei (Namíbia), foram captados no alvorecer, com as primeiras luzes do sol tingindo de laranja, em segundo plano, uma das enormes dunas de areia vermelha pontilhadas de gramíneas brancas. Na sombra, o solo de argila branco ficou azulado

3. Dead Vlei - Namíbia

Aqui não tem filtro épico do Instagram, Photoshop malandro nem tampouco pincel de artista. Os contornos sombrios das acácias mortas, encravadas no solo argiloso de Dead Vlei (Namíbia), foram captados no alvorecer, com as primeiras luzes do sol tingindo de laranja, em segundo plano, uma das enormes dunas de areia vermelha pontilhadas de gramíneas brancas. Na sombra, o solo de argila branco ficou azulado

4. Parque Nacional de Skaftafell - Islândia No sul do país que é o mais novo xodó do futebol mundial, o Parque Nacional de Skaftafell (Islândia) leva os aventureiros ao Glaciar Svinafell, uma disneylândia de trilhas e paredões de gelo a serem escalados. Na paisagem de cristal, não muito longe de um punhado de vulcões ativos, ergue-se uma imensa caverna natural de gelo, cujo teto e paredes translúcidos iluminam o interior com o azul do céu, o amarelo do sol e o verde das águas

4. Parque Nacional de Skaftafell - Islândia

No sul do país que é o mais novo xodó do futebol mundial, o Parque Nacional de Skaftafell (Islândia) leva os aventureiros ao Glaciar Svinafell, uma disneylândia de trilhas e paredões de gelo a serem escalados. Na paisagem de cristal, não muito longe de um punhado de vulcões ativos, ergue-se uma imensa caverna natural de gelo, cujo teto e paredes translúcidos iluminam o interior com o azul do céu, o amarelo do sol e o verde das águas

5. Giant's Causeway - Irlanda do Norte Cerca de 40 mil colunas de basalto, quase que perfeitamente poligonais e encaixadas, formam a impressionante Giant's Causeway, na Causeway Coast (Irlanda do Norte). Entre o mar e as falésias, frequentemente envolta nas brumas da região, a

5. Giant's Causeway - Irlanda do Norte

Cerca de 40 mil colunas de basalto, quase que perfeitamente poligonais e encaixadas, formam a impressionante Giant's Causeway, na Causeway Coast (Irlanda do Norte). Entre o mar e as falésias, frequentemente envolta nas brumas da região, a "calçada dos gigantes" é resultado de uma grande erupção vulcânica ocorrida há 60 milhões de anos – a rocha derretida subiu à superfície através de fendas e se solidificou no frio do Atlântico Norte


Legal, né?





Embora a gente saiba que a maioria dos casais famosos gostam de um clique esperto, há alguns deles que são discretos ao ponto de muita gente não saber que formam (formaram) um casal.

Vamos a 8 deles:

Paloma Duarte e Bruno Ferrari

O casal de atores Paloma Duarte e Bruno Ferrari tem um filho juntos, mas por conta de uma vida bastante reservada, raramente são vistos em público

Anne Hathaway e Adam Shulman

Anne Hathaway e Adam Shulman são casados e tiveram o primeiro filho em 2016

Adam Brody e Leighton Meester

Adam Brody e Leighton Meester estão juntos desde 2014 e tem um filho juntos

Ernesto Paglia e Sandra Annenberg

Os jornalistas Ernesto Paglia e Sandra Annenberg são casados desde 1994, mas pouca gente sabe do romance

Sarah Jessica Parker e Matthew Broderick

Muita gente nem imagina que eles se conheçam, todavia, Sarah Jessica Parker e Matthew Broderick estão juntos desde 1997 e são pais de três filhos


Rachel Weisz e Daniel Craig

Um dos casais mais reclusos do mundo dos famosos é, sem dúvidas, Rachel Weisz e Daniel Craig. Os dois estão casados desde 2011

Penélope Cruz e Javier Bardem

Penélope Cruz e Javier Bardem se conheceram nos bastidores do filme "Vicky, Cristina, Barcelona" de Woody Allen, em 2010, e desde então não se desgrudam. Casados, tem dois filhos, Luna e Leo


Ryan Reynolds e Blake Lively

Ryan Reynolds e Blake Lively se conheceram nos bastidores do filme "Lanterna Verde", em 2011, e, desde então, são inseparáveis. Casados, eles são pais de James e estão "grávidos" do segundo filho



http://s2.glbimg.com/XOs2w6Fi8Ls_MFUGEFFjaLD8MUg=/620x465/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2013/04/26/chinesreciclagem1.jpg

A reciclagem faz com que a quantidade de lixo em aterros sanitários diminua, aumentando o tempo de uso destes locais.

Os brasileiros jogam no lixo cerca de R$ 4,6 milhões, por ano, em produtos que poderiam ser reaproveitados e reciclados.

Vamos falar de alguns materias mais usados na reciclagem e que causa grandes danos ao meio ambiente.

Plástico

A reciclagem de uma tonelada de plástico economiza 130 kg de petróleo. E a reciclagem de 1 tonelada de papel salva 40 árvores adultas da derrubada. isso acontece porque os plásticos são derivados do petróleo, recurso natural não renovável com previsão de esgotamento dentro de 40 anos. 100 toneladas de plástico reciclado evita a extração de 1 tonelada de petróleo.

No Brasil, cada habitante descarta 25 quilos de plástico por ano, cinco vezes menos que os americanos, um dos maiores consumidores do mundo.

Papel

Uma tonelada de papel reciclado economiza 2,5 barris de petróleo usados em sua fabricação. Para fabricar uma tonelada de papel, utilizam-se 100 mil litros de água e 5 mil kW de energia elétrica. Com a reciclagem, esses números caem para 2 mil e 2,5 mil, respectivamente.

A cada 28 toneladas de papel reciclado, evita-se o corte de 1 hectare de floresta.
A reciclagem de 1 tonelada de jornais evita a emissão de 2,5 toneladas de dióxido de carbono na atmosfera.

Alumínio

Uma lata de alumínio pode ser reciclada infinitas vezes sem perder suas características originais. A reciclagem de uma única lata de refrigerante representa uma economia de energia equivalente a 3 horas com a televisão ligada.
Uma lata pode resistir cem anos à ação do tempo.  Uma tonelada de latinhas de alumínio, se recicladas, economizam 200m³ de aterros sanitários.
O reaproveitamento de lata rende US$ 30 milhões por ano. Reciclar uma tonelada de alumínio gasta 95% menos energia do que fabrica a mesma quantidade. Uma tonelada de alumínio usado reciclado representa cinco de minério extraído poupado.

Há muitas famílias que tem no recolhimento de latas de aluminio o seu sustento.

Vidro

O vidro é 100% reciclável, ou seja, 1 kg de vidro reciclado produz 1 kg de vidro novo. O vidro não pode ser degradado facilmente, então não deve ser despejado no solo. Para a produção do vidro são necessários vários recursos naturais: areia, barrilha, calcário, carbonato de sódio, cal, dolomita e feldspato, sendo este último extremamente raro. Uma tonelada de vidro reciclado evita a extração de 1,3 tonelada de areia, economiza 22% no consumo de barrilha (material importado) e 50% no consumo de água.

Uma garrafa de vidro demora 5 mil anos para se decompor. Para cada garrafa de vidro reciclada é economizado energia elétrica suficiente para acender uma lâmpada de 100 watts durante quatro horas.
A reciclagem de 10.853 toneladas de vidro preserva 12 mil toneladas de areia.

Pilhas e baterias

Pilhas e baterias são lixo de extremo perigo, pois possuem ácidos e metais tóxicos. Quando vão para os lixões, infiltram-se na terra, contaminando os lençóis freáticos. Por isso, este material, após utilização, deve ser mandado de volta para o fabricante.

A importância de saber para onde vai cada material que compõe o seu lixo do dia a dia faz com que a conscientização aumente para dar melhor destino a ele.

Adote a reciclagem de materiais. É importante para a qualidade de vida e para o futuro do planeta!