Armadilhas no Orçamento

Por | 12:24 Comente


Para conseguir um orçamento sólido, a pessoa precisa, em primeiro lugar, montar a boa e velha planilha de receitas e despesas: sabendo exatamente quanto ganha, fica fácil controlar as contas e garantir a poupança - ou qualquer que seja o investimento - mensalmente.

Mas, antes de qualquer coisa, é importante ficar atento às "sete armadilhas" das finanças. Segundo os especialistas* José Godoy, Luiz Gustavo Medina e Marco Antonio Gazel Junior, elas vão desde dívidas até a aposentadoria:
Armadilha 1: Desbalanceamento no orçamento: os "gastadores". Isso pode acontecer não somente entre os "gastadores", mas também com aquelas pessoas que têm o orçamento apertado e precisam, de repente, consertar o carro ou comprar remédios.


Armadilha 2: Falta de controle no orçamento e no fluxo de caixa - as pequenas despesas. A situação é comum entre as pessoas que esquecem de contabilizar despesas menores. Se o gasto com o café e com o jornal é de R$ 4 diários - aparentemente pouca coisa - é preciso lembrar que no final do mês serão R$ 120.


Armadilha 3: Custo fixo - o dilema do padrão de vida. É importante lembrar que sempre que se aumenta o padrão de vida, crescem os gastos. Comprar uma casa maior por um preço vantajoso traz, consigo, IPTU e contas domésticas mais caras.


Armadilha 4: Dívidas - o tamanho dos compromissos. Saber exatamente quantos são e, principalmente, quanto custam os débitos pendentes é fundamental para o controle do orçamento. Por exemplo: se o dinheiro dá no final do mês apenas para pagar os juros de suas contas "penduradas", dificilmente você conseguirá sair do vermelho. É preciso, então, fazer contas e ver exatamente quanto elas representam nos ganhos totais.


Armadilha 5: Falta de provisões - "problemas à vista". É importante ter sempre um dinheiro guardado para os imprevistos. Mas para chegar a esse nível, é fundamental que a poupança ou qualquer que seja o investimento faça parte do seu orçamento. Os especialistas aconselham que a reserva seja equivalente a seis meses do seu atual salário.


Armadilha 6: Aposentadoria - pensando no futuro. Quanto mais cedo a pessoa se preocupar com a aposentadoria, menor será o sacrifício para manter o padrão de vida depois que as chuteiras forem penduradas. Mas de nada adianta fazer esse investimento se dívidas - e juros - estão rolando ao mesmo tempo em outras "partes" do orçamento. Portanto, é importante resolver as contas atuais para depois pensar no futuro - mas isso deve ser feito com rapidez.


Armadilha 7: Fluxo de caixa - investir ou financiar? É importante saber que financiar um carro ou uma casa não é exatamente um investimento, mas uma dívida - que vem acompanhada de juros. Portanto, se há a necessidade de comprar algo mais caro, guarde o dinheiro e compre depois, pagando menos no fim das contas. Essa decisão vai fazer os juros trabalharem ao seu favor, e não contra você.
*As informações constam no livro "As dicas do sr. Alceu: investindo sem erro", publicado pela Editora Saraiva em 2006

Comente:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

1) Você é responsável pelo que comenta
2) Seu IP foi registrado. Procure saber o que significa.
3) Comente sempre!